Com o CDA nº 100, revivemos e olhamos os eventos fermentados na casa de S. Paulo e nos meios ambientes com a certeza de que Jesus “está no meio de nós!”. Gratos estamos por tantas colaborações estimulantes para que os ambientes são espaço e moradas de uma imensa bondade a fortalecer, de amarguras a curar, de outros meios a alcançar.
Nestes dias de oásis e deserto, de caminho apressado ou saboreado,… com medos e certezas misturadas com alegria e evangelho, cumprimos a missão!
Realizamos, hoje, dia a dia, a tarefa e dignidade de discípulos missionário. (“Evangelium Gaudium”, 120).
Todos somos chamados e vocacionados a crescer e ser felizes como evangelizadores vivificados pela mentalidade cursilhista e trinitária atenta ao tripé. (EG 121) O equilíbrio oferecido pela Graça fermentará na ampliação do coração humano e no agir saudável em cada ambiente.
É desejo do Bispo do Porto D. Manuel Linda que cada um responda e “(…) vejam como sua a responsabilidade de levar Deus a quem não o conhece, suficientemente, na sua paterna misericórdia ou força do Espírito Santo”. (Cf Plano Diocesano de Pastoral 2018/2019, “Todos Discípulos Missionários” nº 3)
Nos cursilhistas o trabalho mais saboroso será em equipa: casal, família, grupo de Ultreia;… (…) Se todos “derem o melhor de si”, no lugar que lhes compete, a equipa será coesa, determinada, vencedora”.

Pe José Barros

© 2019 MCC - Diocese do Porto